Educação Financeira
Educação Financeira

Quanto Tempo Você Sobreviveria Sem Emprego?


Em minhas recentes pesquisas pela web descobri que existem muitos animais que são verdadeiros especialistas na arte da sobrevivência. Temos o caso da barata, que está presente na Terra há milhões de anos, inclusive superou o grande o impacto do meteoro que dizimou os dinossauros.

A lista segue com o Tardigrado, um ser que tem entre 0,3 e 0,5 milímetro de comprimento, ele é muito resistente, pois sobrevive a temperaturas que variam desde pouco mais do que o zero absoluto até os 150 °C, suporta pressões de 6 mil atmosferas e 5 000 Gy (Gray de radiação), um valor cerca de 1.000 vezes mais que nós, seres humanos, podemos suportar.

Pois bem, esses dois são grandes exemplos de sobrevivência conhecidas pelo, porém, eu encontrei outro animal que posso fazer uma analogia real com as nossas finanças, afinal de contas, esse não é um artigo científico, quem dera fosse!

O animal em questão é camelo, também conhecido como o “cavalo do deserto”. Esse camarada é uma figurinha marcada em qualquer filme, seriado ou documentário relacionado ao Egito, também é um dos principais cartões postais em conjunto com as pirâmides.

Ele chama muito a atenção por sua resistência, pois pode ficar de duas a três semanas sem ter que beber uma gota d’água. Isso é possível graças a sua capacidade de armazenar água por todo seu corpo, principalmente na corrente sanguínea.

Cada vez que um camelo tem acesso à água, ele pode beber até 225 litros de uma só vez, sendo assim, consegue distribuí-la no organismo, além de saciar sua sede naquele momento, é claro, mas água não representa a reserva mais importe.

Ao contrário do que muitos pensam, as corcovas do camelo armazenam gordura, formando uma reserva importantíssima em momentos que o animal não pode se alimentar ao percorrer grandes distâncias. E a concentração de gordura também regula a oscilação de temperatura do ambiente.

Pelo pouco que vimos do camelo até agora, ele apresenta algumas características que podemos trazer para a nossa realidade:

  • Possui duas reservas distintas;
  • É eficiente, só gasta aquilo que acumulou em momentos de necessidade;
  • Ao se deparar com comida e água pelo caminho, ele consome o que precisa e repõe suas reservas ( de água e de gordura ).

Nesse ponto temos o estereótipo de um poupador e investidor inteligente, alguém que sabe como acumular, quanto acumular e como fazer uso daquilo que guardou.

E Você, Qual é o seu Limite Financeiro, Quanto Tempo Consegue Sobreviver?

Nem um de nós sobreviveria  muito tempo no deserto, mas na nossa realidade, o deserto simboliza a vida em geral e qual a nossa capacidade financeira para mantê-la, citando aqui os nossos empregos, ou seja, a principal fonte de renda do trabalho. Por isso, repito a questão do título do artigo: Quanto Tempo Você Sobreviveria Sem Emprego?

Eu poderia afirmar que muitos contariam com o seguro desemprego, mas isso representa alguns meses de salários equivalentes aos últimos recebidos. Outros talvez nem possam contar com esse “apoio” do Governo, caso percam o emprego pouco tempo depois da contratação.

Quanto o momento é de crise ( e hoje é caso do Brasil ), temos um panorama completo, claro e cristalino de pessoas que não se preparam para momentos de dificuldade. Tais pessoas não possuem “reserva de gordura” ( dinheiro, poupança, reserva financeira ) ou reserva de água ( investimentos com alta liquidez, ou seja, fáceis de resgatar ), enfim, não possuem dinheiro guardado e também não criaram outras fontes de renda.

É até irônico que as pessoas sempre critiquem o Governo, a Economia, os Bancos a Inflação e com todos esses males presente em suas vidas, não conseguem transferir o seu pessimismo para se proteger do dia de amanhã. Já que tudo está contra você, porque não se organizar para enfrentar o problema?

Não adianta reclamar, se você gasta mais do que ganha, desperdiça dinheiro naquilo que não precisa, não guarda ao menos 10% do salário, não investe ( e nem tenta aprender sobre investimos ). Ninguém consegue resultados diferentes repetindo os mesmo passos, é preciso mudar a forma de pensar e de agir quando o assunto é dinheiro.

Se você não sabe quanto tempo sobrevive sem seu emprego, certamente está trilhando ou muito próximo de trilhar o caminho das dívidas e da bola de neve que os juros formam rapidamente. Mas, é possível reverter essa situação, mesmo que situação esteja ruim.

Como Se Preparar para uma Situação de Desemprego?

Para criar uma proteção financeira ou simplesmente acumular patrimônio, é preciso um planejamento eficiente e se existem dívidas, o primeiro item do seu plano será a quitação de cada uma delas. Então, vou sugerir algumas dicas para definir alguns itens essenciais.

Enfrentando as Dívidas…

Infelizmente, as dívidas atrasadas não permanecem com os mesmo valor, basta um dia após o vencimento e já são aplicadas multas e juros. Quanto mais tempo a dívida é mantida, maior ela fica, pois os altos juros ( que ainda por cima são compostos ) trazem inúmeros problemas ( até de saúde ), preocupações, constrangimentos e nome sujo na praça.

A primeira medida para estancar a sangria é trocar uma dívida maior por uma menor, na verdade, o termo correto é trocar juros maiores por menores. Cartão de crédito e o cheque especial são os que possuem juros astronômicos, o primeiro com uma taxa de mais de 330% ao ano e o segundo com 475% ao ano. Enfim, essas opções de crédito não estão para brincadeira!

Se levarmos em conta os valores mensais, a taxa de juros fica na casa dos 14%, ou seja, uma dívida de R$ 1.000,00 em um mês é corrigida para R$ 1.140,00 no mês seguinte. Sendo assim, é preciso procurar uma taxa que caiba no seu orçamento.

O próprio banco que você possui um cartão de crédito certamente possui outras linhas de crédito mais baratas para oferecer, mas saiba que é seu dever procurar outros bancos e instituições financeiras que ofereçam juros mais baixos, reduzindo o valor das parcelas a pagar até a data final.

Uma sugestão interessante são as cooperativas de crédito que, em um primeiro momento, oferecem taxas mais competitivas comparadas aos grandes bancos. Pesquise até encontrar a solução mais barata e faça os pagamentos em dia para evitar que o problema se repita.

Não Tem Dívidas? Então, é Hora de Poupar!

A ausência de dívidas por si só não é motivo para celebrar, pois se não sobra nada no final do mês, como será sua vida se perder o emprego ou quando se aposentar? Enganam-se aquelas que acreditam que o INSS vai bancar suas contas daqui 30 anos.

Sempre existe algo que pode entrar a lista de economias e reduções no orçamento. Items como supermercado, água, energia elétrica, alimentação ( fora de casa ) devem ser revistos de forma imediata, confira artigos com dicas para iniciar a economizar:

Pois bem, agora que já sabe como reduzir despesas essenciais, chegou o momento de escolher a forma com qual o dinheiro trabalhará para você, ou seja, que tipo de investimento é compatível com seu perfil. Mas, antes de qualquer escolha é necessário definir quais são os objetivos, como por exemplo:

  • Está construindo uma reserva de emergência?
  • Vai comprar um carro aqui 2 0u 3 anos?
  • Quer sair do aluguel?
  • Está juntando para engordar a aposentadoria?

Enfim, cada aplicação financeira deve respeitar um objetivo, tempo e quantidade de dinheiro que você se dispõe a poupar mensalmente. Tenha em mento que todos devem criar reservas para curto prazo ( perder emprego ), médio prazo ( compra de bens ou estudo dos filhos ) e longo prazo ( aposentadoria, viagens e contar com um bom plano de saúde ).

Conclusão

Ninguém possui uma bola de cristal para saber o que vai acontecer no futuro, mas podemos tomar rédeas do presentes e construir uma vida financeira segura, permitindo que você possa enfrentar situações adversas. Lembre-se que o dinheiro mal gosto hoje é como se o você de hoje estivesse “roubando” o você de amanhã.

Priorize o ato de poupar, incorpore isso na sua rotina pessoal e também da família, quanto maior a poupança, mais rápido você alcançará a tão sonhada independência financeira e partir daí, muitos problemas passam a não mais existir.

E agora, já descobriu quanto tempo você sobrevive se não tivesse emprego?


Analista de sistemas, pai e um cético que resolveu aprender um pouco mais sobre finanças pessoais e investimentos após anos de gastos desenfreados.

Ver Comentários
Ninguém comentou ainda. Seja o primeiro!