Dicas Financeiras
Dicas Financeiras

Como Nos Proteger da Inflação com Investimentos Sem Risco?


Você percebe como praticamente tudo que compramos costuma subir de preços?

Isso é efeito, em suma, da inflação, que é o aumento geral no nível de preços de produtos e serviços. Aqui no Brasil, temos uma lembrança inflacionária muito forte.

Quem estava vivo ( e já era crescido ) no final da década de 80 e no início dos anos 90 se lembra do caos econômico que a “inflação galopante” gerava.

A regra era receber o salário e correr para os supermercados, para nos protegermos da inflação ( como você pode ver melhor neste post ).

Com o plano real, veio a estabilidade da moeda. Entretanto, ainda sofremos com uma inflação anual bem alta e desconfortável. No ano passado, por exemplo, o IPCA registrou uma alta de 10,67%…

Neste cenário, muitas pessoas se assustam e buscam maneiras de se proteger da inflação. Ao mesmo tempo, torna-se muito difícil dos investidores registrarem rentabilidade real ( isto é, acima da inflação ) de suas carteiras de investimento…

Mas e seu eu lhe dissesse que é possível, sim, se proteger da inflação e ainda conseguir auferir uma rentabilidade real na sua carteira de investimentos, você acreditaria?

E se eu dissesse que isso é possível, ainda, sem risco nenhum?

Parece bom demais, não é mesmo?

É justamente sobre isso que esse artigo, escrito pelo Ramiro Gomes Ferreira, do Clube do Valor, trata.

Logo abaixo, você aprenderá uma maneira simples e eficaz de se proteger da inflação e alcançar bons retornos financeiros, sem nenhum risco…

Bom demais, não é mesmo?

Então continue lendo esse artigo para saber mais…

Conheça os Títulos Públicos

Você já ouviu falar de títulos públicos?

Muito provavelmente você já leu em algum lugar, ou ouviu algum expert ou parente defendendo o investimento neles…

Pois é justamente através dessa classe de ativos que você pode se proteger da inflação e rentabilizar sua carteira acima dela!

Se você ler alguns posts do Clube do Valor, vai perceber que é impossível manter uma boa organização de suas finanças pessoais se você gastar mais dinheiro do que ganha.

Isso porque todo mundo que gasta mais do que ganha acaba, cedo ou tarde, tendo que recorrer a um empréstimo, contraindo uma dívida. E sobre todas as dívidas há a incidência de juros, que remuneram o banco que concede o empréstimo.

E a mesma lógica vale para os governos ( nesse caso específico, para o governo brasileiro ). Ao gastar mais do que arrecada, o governo precisa se endividar para fechar essa diferença entre despesas e receitas.

Mas diferentemente das pessoas físicas, o governo não recorre aos bancos diretamente. O que ele faz é emitir títulos, que prometem o pagamento de juros para pessoas que tiverem dinheiro sobrando e quiserem emprestar seu dinheiro ao governo ( investir ).

Mas o que isso tem a ver com proteção inflacionária?

Simples: existem dois títulos do governo que prometem remunerar o investidor com a variação da inflação + juros!

Conheça o Título NTN-B ( Tesouro IPCA+ Com Juros Semestrais )

O título público NTN-B é um título que não é nem prefixado, nem pós-fixado.

Abrindo um rápido parêntese aqui: um título prefixado é aquele em que a taxa de remuneração é fixada no momento da compra. Ou seja, é quando você sabe exatamente qual rentabilidade irá auferir ao longo do tempo.

Já um título pós-fixado é aquele em que você não sabe, por exato, o valor que irá receber até o vencimento. Isso ocorre porque eles costumam refletir a rentabilidade de algum índice, como a Taxa Selic, por exemplo.

Fechando o parêntese: a NTN-B é um título com características de um prefixado e de um pós-fixado. Eu gosto de chama-lo de “híbrido”. Isso porque ele remunera o investidor pela variação da inflação no período ( característica de pós-fixado ) acrescida de uma taxa de juros prefixada.

Ao investir numa NTN-B você sabe apenas qual será a rentabilidade real do seu investimento. Você estará se protegendo da inflação e auferindo um juros acima dela!

E esses juros são pagos duas vezes ao ano, uma a cada seis meses. E esta é a principal diferença deste título para o…

NTN-B Principal ( Tesouro IPCA+ )

Este é um título quase que exatamente igual a NTN-B. A diferença é que ele não paga juros semestrais. Então, a taxa prefixada é reinvestida automaticamente, e não distribuída para o investidor.

Por Que Eles Não Possuem Risco?

Explicado o que são títulos públicos e como você pode se proteger da inflação investindo neles, talvez você deva estar se perguntando por que eu falei que se trata de uma classe de ativos com risco nulo, não é?

Títulos públicos, de fato, são considerados como os “ativos livres de risco” da economia. Isso porque o risco de você não receber o montante investido é muito próximo de zero.

“Mas como assim? O governo não está assolado com tantos casos de corrupção? Não vale mais a pena investir na poupança ou em algum banco?”

A resposta é: NÃO!

Porque é o próprio governo (emissor do título) quem “manda” no país. Então, em períodos de crise, como o atual, o governo procura melhorar seu resultado financeiro.

Isso pode ser através de cortes de despesas, aumento de receitas, etc. E se ele não conseguir, de jeito nenhum, controlar a dívida, ele não vai dar calote.

Provavelmente, neste caso, ele recorra ao Banco Central Brasileiro, que tem o poder de imprimir mais moeda para pagar suas contas.

Isso ocorre porque o funcionamento de todo o sistema financeiro nacional está baseado na premissa de que o governo não deixará de honrar seus compromissos.

E se, por acaso, o governo resolvesse de fato suspender o pagamento da dívida interna ( dar um calote nos investidores ), um verdadeiro caos econômico se instalaria no país.

Conclusão

Acredito que, nesse ponto do artigo, você já esteja entendendo o funcionamento destes títulos públicos. Agora, talvez você esteja se perguntando como investir neles, certo?

Existem algumas maneiras:

(i) Através de fundos de investimento em renda fixa;

(ii) Diretamente, através da plataforma do Tesouro Direto.

Mas eu sempre sugiro que você procure um consultor de investimentos especializado sobre o assunto. Esse mercado de títulos públicos, recém apresentado para você, pode até parecer complexo.

Mas, na realidade, você pode dominá-lo com algumas leituras extras. Se você gostou deste artigo, sugiro que você leia esse guia absolutamente completo sobre o investimento em títulos públicos, que escrevi no Clube do Valor.

Caso você tenha ficado com alguma dúvida sobre o assunto, deixe seu comentário abaixo!

E não deixe de conhecer, também, o Clube do Valor!

Grande Abraço,

Ramiro


Graduado em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Investidor desde os 12 anos, começou a trabalhar no mercado financeiro aos 19. Foi sócio de uma tradicional gestora de investimentos de Porto Alegre, onde adquiriu grande experiência em gestão e análise de investimentos. É credenciado pela CVM como gestor de carteiras e consultor de valores mobiliários e fundador do Clube do Valor. Hoje, dedica-se à educação financeira, ajudando milhares de leitores a conquistar sua independência financeira.

Ver Comentários
Ninguém comentou ainda. Seja o primeiro!