Educação Financeira
Educação Financeira

Como Gastar Menos do Que Ganha?


Nossa sociedade está repleta de pessoas má sucedidas financeiramente, enquanto que, paralelamente, existem um número menor que pessoas que parecem não passar por qualquer dificuldade, mesmo em tempos de crise, mas, porquê será que isso acontece?

A resposta para essa pergunta é mais simples do que você imagina. Tudo começa em um dos pilares fundamentais da educação financeira, e esse pilar é conhecido através do termo “gastar menos do que ganha”. Você vai encontrar essa frase em revistas, programas de TV, sites ou blogs, entretanto, é preciso entender esse conceito.

Inadimplência, dívidas acumuladas e parcelamentos intermináveis com juros altos estão ao nosso redor e pode ser que você esteja enfrentando um ou todos esses problemas. Não importa o tamanho de suas dívidas, pois elas sempre tem a mesma origem, ou seja, em um momento da vida você começou a gastar mais dinheiro do ganha.

Porque as Pessoas Gastam Mais do Que Ganham?

Vivemos em sociedade, estamos cercados de pessoas no trabalho, na escola, na igreja, não importa o lugar, pois sempre surgirão oportunidades para levantar comparações e questionamentos são inevitáveis, que podem ser do tipo:

  • Que belas roupas eles vestem!
  • Que carrão meu amigo está dirigindo!
  • Nossa, e essa mansão do meu vizinho!
  • Eles só visitam os melhores restaurantes!
  • Essa família viaja duas vezes ou mais no ano!

Eu poderia ficar o dia todo escrevendo uma série de frases coma essas, mas já é possível entender que cada uma delas geram boas más reações nas pessoas. Sendo assim, é natural que você queira um carro melhor, uma casa maior, bem como outros bem e consumos que outras pessoas “bem sucedidas” normalmente adquirem.

O problema é que nós esquecemos facilmente de um dos princípios da economia: Os desejos são ilimitados, os recursos são limitados!

Se esse princípio é deixado de lado ( e ele é… ), nossa mente entre automaticamente no modo desafio, como assim “modo desafio”? Simples, ninguém quer ser passado pra trás e se alguém tem algo que eu não tenho, eu “preciso” buscar aquilo de “uma forma ou de outra”.

O termo de “uma forma ou de outra” significa: Se não tenho dinheiro para comprar isso, vou recorrer ao cartão de crédito, cheque especial e variados empréstimos. A partir daí temos os cenários em que uma pessoa ganha R$ 1.000,00 e gasta R$ 1.500,00.

Depois de um tempo, os R$ 500 negativos do mês anterior vão aumentando de tamanho, pois os juros são altíssimos. Felizmente, algumas pessoas conseguem parar por aí, mas grande maioria continua vivendo no padrão de vida insustentável.

Alguns estão tão endividados que não conseguiriam pagar tudo com os rendimentos de meses ou até mesmo anos de trabalho. Saiba que tais dívidas poderiam ser evitadas e com atitudes bem simples.

Como Gastar Gastar Menos do Que Ganha?

Em primeiro lugar é preciso conhecer seus rendimentos, ou seja, salários, bonificações, comissões, rendas extras e\ou paralelas ao seu emprego, na sequência você deve anotar todas as suas despesas, inclusive os pãezinhos e cafézinhos que consome diariamente.

Depois de um tempo temos o mapa de receitas e despesas, a partir daí será possível iniciar o processo de limpeza e\ou construção de um planejamento financeiro pessoal. Ao lista as despesas, classifique cada uma delas, eis as minhas sugestões:

  • Essenciais – Água, Energia, Telefone, Aluguel, Combustível, Supermercado, Plano de Saúde;
  • Lazer / Supérfluos – Bares e Restaurantes, Lanchinhos ao Caminho do Trabalho ou Faculdade;
  • Estilo de Vida – Assinaturas ( Revistas e Jornais ), TV à Cabo, Clubes.

É claro que existem muitas outras categorias, mas essas são as principais e, a partir delas é possível iniciar uma grande organização no seu orçamento. Com sua lista em mãos, verifique cada despesa e avalie quais podem ser reduzidas ou totalmente eliminadas.

Todas as despesas podem ser reduzidas, veja abaixo outra sugestão com base nas categorias citadas anteriormente:

Essenciais – Água e Energia ( É possível economizar ambas ao mesmo tempo, basta reduzir o tempo no banho ), Telefone ( Tanto Fixo quanto Celular podem ser reavaliados, para que você possa reduzi-los para um plano compatível com o consumo ), Supermercado ( Para de colocar muitas guloseimas no carrinho e experimente outras marcas de qualidade semelhante aos que sempre comprou, mas que possuem preços mais baratos ).

Lazer / Supérfluos – Em situação de dívidas, comer fora e pegar aquela balada devem ser deixados de lado por um tempo. Quantos lanchinhos fora de casa, é bem mais barato levar frutas e lanches feitos em casa, lembre-se que R$ 5 poupados todos os dias úteis, resultam em R$ 110,00 a mais no seu bolso quando o mês termina.

Estilo de Vida – Pare assinar as revistas que você não lê, e quanto a TV à cabo, troque seu plano para um que tenho apenas os canais que você e sua família realmente assistem.

A dica mais importante, além das que citamos até aqui, está no ato de ignorar o sucesso dos outros ( que muitas vezes é fantasioso, pois outras podem parecer ricos, mas estão com dívidas ). Pare por um minuto antes de comprar qualquer coisa, a satisfação de uma compra é passageira, mas as dores de cabeças por causa das dívidas são duradouras.

A partir do momento que você consegue gastar menos do que ganha, poderá criar sua reserva de emergência, poupa para investir e consequentemente condições de realizar seus sonhos mais rápido. Você é o responsável por sua vida financeira, sempre!


Analista de sistemas, pai e um cético que resolveu aprender um pouco mais sobre finanças pessoais e investimentos após anos de gastos desenfreados.

Ver Comentários